Saiba tudo sobre cupim com asas siriris

Saiba tudo sobre cupim com asas siriris – Esses cupins com asas são maiores que os cupins operários, de cor mais escura, e têm olhos compostos para permitir que eles vejam durante o vôo nupcial.

O tempo da primavera é quando a maioria das colônias de cupins começa a se espalhar.Isso geralmente ocorre após um período de chuva, seguida por um clima quente e ensolarado desta época do ano.O enxame é uma ocorrência natural que acontece quando uma colônia de cupins estar muito povoada.

Vendo estes maciços enxames de térmitas voando pode ser bastante aterrorizante para algumas pessoas, quando na realidade os enxames não causam nenhum dano estrutural.

Para falar sobre cupins alados é preciso dar uma repassada breve na termitologia, que é a ciência que estuda os cupins. Os cupins são uma ameaça à integridade de móveis, imóveis e plantações no mundo todo, no último ano, causou prejuízos na casa de 5 bilhões contados somente danos grandes monta, deixados de lado aqueles danos individuais.

Portanto proteger propriedades e plantações parece ser uma boa forma de evitar gastos maiores. Vale lembrar que a maioria dos seguros não cobrem danos causados por cupins, então a melhor medida é realmente a prevenção. Cupins são insetos que pertencem à ordem dos Isopteras, também são conhecidos como Formigas Brancas, Térmitas, quando estão em época de acasalamento adquirem asas, e são conhecidos como Siris, Siriris, Formigas brancas aladas ou Aleluias.

Os cupins, a exemplo das formigas e abelhas são insetos sociais, o que significa dizer que cada indivíduo tem sua função bem definida dentro da comunidade de cupins.


Cupins se dividem em três grupos distintos

  • Os sexuados, que são os chamados cupins alados, tem a função de reprodutores, podendo ser machos ou fêmeas, eles é que vão propagar a espécie fora da colônia;
  • Os ápteros operários, que desempenham todas as atividades da colônia como cavar túneis, coletar alimentos, alimentar, limpar, cuidar dos cupins jovens e construir, estes não têm capacidade reprodutora, muito embora possam ser machos ou fêmeas;
  • Os ápteros soldados, que tem como função principal defender a colônia de ataques dos inimigos, esses possuem as mandíbulas e patas muito fortes, e podem também ser machos ou fêmeas, mas assim como os operários não tem capacidade reprodutora, e quando ociosos na função de soldados ajudam os operários em seus afazeres.

Eles vivem em colônias com milhares de indivíduos, e constroem ninhos chamados termiteiros, também conhecidos como cupinzeiros. Cupins podem ser ápteros quando não tem asas e alados quando tem asas, mas essas asas como veremos mais à frente, não os acompanham na vida toda.

Descrição dos cupins

A descrição dos cupins varia um pouco de espécie para espécie. Entre as diferenças nota-se que sua cabeça tem tamanhos variados, quando alados tem olhos, quando não alados, seus olhos são atrofiados, tendo apenas dois ocelos (pequenos olhos próprios de alguns insetos), suas antenas são moniliformes (parecido com contas de rosário), são seres mastigadores.

Apesar de serem conhecidos em algumas regiões como formigas brancas, eles não são da mesma família, mesmo as formigas aladas se diferem dos cupins conhecidos como formigas brancas aladas em algumas regiões.

As formigas de asas têm a cintura afinada enquanto os cupins alados têm a cintura reta, as antenas das formigas são curvas, enquanto as dos cupins são retas, também nas asas há muita diferença, enquanto os cupins têm quatro asas de igual tamanho, as formigas têm também quatro asas, porém de tamanhos diferentes, o corpo das formigas também tendem a ser um pouco maior que o dos cupins. Algumas espécies de cupins causam danos enormes em plantações, comendo desde a raiz até o tronco de árvores, cereais ou tubérculos.

Classificação dos cupins

É importante o conhecimento de cada uma para ser possível a distinção e classificação correta:

·  Os Kalotermitidae são a espécie que atacam a madeira, e dentro dessa, seja de um móvel, um batente, ou qualquer tipo de madeira, formam galerias ou câmaras que servem como colônias, essas colônias não costumam ser muito grandes, nem volumosas, mas às vezes são bastante extensas; 

·  Os Rhinotermididae são os cupins subterrâneos, ou cupins de solo, formam imensas colônias que ficam total ou parcialmente abaixo do solo, mas se alimentam das plantações e madeiras acima do solo, é o grupo que mais causa estrago no mundo todo; 

·  Os Termitidae são os mais conhecidos, eles constroem seus ninhos, ou termiteiros, que formam montes acima do solo, ou em cima de árvores, também se alimentam de madeira e seus derivados.


Cupim aleluia: Destruidores de madeira

Os cupins são famosos pelo seu poder destruidor, principalmente de madeiras, pois sua base alimentar é a celulose, encontrada na madeira e seus derivados. Uma vez instalados na madeira, constroem galerias e destroem muitas vezes por completo o interior local onde vivem, literalmente devorando toda a madeira, por isso são conhecidos como pragas urbanas.

Mas existe outro lado no qual é possível encontrar algo de produtivo nestes que parecem somente destruir tudo o que vem. Eles são os maiores colaboradores no que diz respeito à decomposição na natureza principalmente em florestas e matas, são também responsáveis por grande parte da aeração do solo, facilitando a germinação de sementes.


Cupins alados e a revoada

Entre agosto e outubro em que é tempo mais quente e chuvoso e, portanto, mais úmido também, acontecem as revoadas, época em que os cupins saem para se reproduzir, e originar novos cupinzeiros. Existe a revoada em outras épocas do ano, mas são mais raras.

A revoada também é conhecida em algumas regiões como enxameação, e se refere a quantidade de cupins que saem de uma vez das colônias.

Esse período não é regra, ele pode ser diferente em nas várias regiões, dependendo das condições climáticas e geográficas. Nesta época são vistos, muitas vezes em bando, geralmente depois de chuvas pesadas ou dias com temperaturas muito quentes e úmidas.

Mesmo quando o calor é muito intenso, eles são vistos em poucos dias, isso porque o calor e a umidade aceleram o processo de perda das asas. A revoada ocorre quando os cupins reprodutores, os alados, saem da colônia, para cumprir sua tarefa de reproduzir e perpetuar a espécie. Mas há toda uma preparação para isso.


Como se inicia o voo nupcial dos cupins com asas?

Primeiro os cupins alados sob o efeito de hormônios são levados ao fundo do ninho, em câmaras específicos para essa função, e a saída dos cupinzeiros é fechada pelos cupins operários, provocando uma compressão nessa câmara, e lá ficam durante dias.

Em um dado momento, que ainda não se sabe bem ao certo o que motiva isso, há um frenesi entre eles, e com as asas produzem uma forte vibração, provocando calor, neste momento os operários abrem as saídas e eles saem em revoada. Neste momento é possível observar um belo espetáculo produzido por grande quantidade deles saindo ao mesmo tempo do cupinzeiro.

A revoada acontece geralmente no final da tarde, e é, como dito, um espetáculo à parte, alguns cupinzeiros liberam uma verdadeira nuvem de cupins alados, dando um show na natureza, fascinando aos que podem os observar, principalmente se esse se der ao cair da tarde.

Fora da colônia eles voam em direção à luz, pois são orientados pela luz da lua quando noite, por esse motivo vemos tantas aleluias em volta das lâmpadas, eles são incapazes de diferenciar a luz natural da artificial, e são atraídos por elas.

Machos e fêmeas saem juntos do cupinzeiro, mas não formam casais entre si, eles se acasalam apenas com pares de outras comunidades. A revoada é sincronizada com outros termiteiros fazendo com que a chance de consanguinidade entre eles seja nula.

Também não há cruzamento entre espécies, por exemplo, os cupins de solo (Rhinotermididae) somente farão pares com outros cupins de solo.


Quanto tempo os cupins ficam voando?

O tempo de revoada depende de cada espécie, pode durar alguns dias, ou apenas horas, também algumas espécies preferem sair em revoada durante o dia, outras ao cair da noite. Esses cupins não voam a grandes distâncias, portanto se tiver uma revoada, há com certeza um cupinzeiro por perto.

Em alguns casos de exceção a essa regra é quando há ventos fortes, que pode levar a revoada para outro lugar distante da colônia de origem, mas nesse caso, quase nunca encontram seus pares. Após a revoada, eles pousam ou caem no solo e as asas se tornam um acessório sem qualquer utilidade.

Nesse momento eles pressionam suas asas conta o solo quebrando-as, pois essas já se tornaram inúteis e daí para a frente só atrapalhariam os próximos passos caso continuasse com elas. Se o cupim não tiver encontrado seu par durante o voo, ao cair, as fêmeas liberam hormônio sexual, atraindo os machos.

Caso ocorra o encontro do par durante o voo, pousam juntos no solo e procuram abrigo juntos, e quando encontram, ali formam seu novo ninho. No caso de cair no solo, ao liberar o hormônio, a fêmea já começa a procurar abrigo, caso contrário se torna presa fácil para seus predadores. Nesse caso o macho já a encontra no futuro ninho. A maioria não encontra seus pares para formar uma nova colônia, e já que não podem voltar a colônia antiga acabam por morrer em alguns dias.

Encontrando seu par. ao identificar um bom abrigo, onde haja segurança e alimento abundante, eles iniciam a escavação do solo, ou madeira, e constroem a câmara nupcial, uma cavidade maior que os outros compartimentos. Feito isso eles se acasalam, e dão início a postura de ovos, dando início a nova colônia, agora como rei e rainha.

Abrigos ideais são rachaduras em paredes, orifícios em peças ou móveis de madeira, solo com grande quantidade de celulose ou parques com arvores secas ou mortas. A primeira fecundação gera em torno de 2.000 ovos, podendo com o passar do tempo chegar ao incrível número de 8.000 ovos a cada fecundação.

Após a postura dos primeiros ovos, que se dá em 24 a 90 dias, dependendo a espécie, nascem as primeiras larvas, essa primeira ninhada vai ser cuidada pessoalmente pelo rei e pela rainha, assumindo estes todas as funções da colônia. Das larvas se desenvolvem os cupins jovens, que serão os operários e os soldados. Somente de 03 a 06 anos depois de estabelecido a nova colônia é que nascem as ninfas ou cupins alados.

As ninfas substituirão o rei e a rainha caso esses venham a morrer, ou saírem da colônia e se tornarem reis e rainhas. As ninfas ganham asas depois de adultas, e as perdem quando encontram seus pares. Assim que as larvas se tornam pequenos cupins e começam a se locomover o casal passa a ter como única função procriar.

O macho fecunda a fêmea periodicamente e o abdome dessa se expande até 3 cm para comportar os ovos, e em algumas espécies o casal real nunca sai da câmara real, em outras o macho anda livremente pela colônia, mas sempre volta para junto da fêmea. Esse rei e rainha viverão juntos pelo resto de suas vidas, e sua única função é reproduzir, e aumentar a colônia, renovando o ciclo, e quando morrem, são substituídos por outro membro sexuado da colônia.

Vale a pena ressaltar que os cupins alados, muito embora invadam nossas casas em época de acasalamento causando transtornos, e claro, perigo aos nossos móveis e casas, eles não oferecem perigo algum ao ser humano, não trazem doenças, ou picam e não mordem. Para afastá-los basta desligar a luz, e eles vão atrás de outra luz, pois são orientados pela luz natural da lua.


Cupim aleluia e o poder de destruição

Cupins podem devastar por completo construções inteiras de madeira, há relatos nos Estados Unidos, onde é comum construções com casas feitas totalmente de madeira, de destruição total, do alicerce ao teto.

E não vamos nos esquecer que os cupins alados ou aleluia são bonitinhos, mas são cupins e seu poder de destruição é mais potencializado pela facilidade de locomoção dada pelo voo.

Antes de serem reis e rainhas, os cupins alados podem em algumas espécies saírem das colônias durante a noite em busca de alimento.

Para evitar esses cupins, não basta apagar a luz, isso faz apenas que eles não adentrem a casa, mas nada impede que se instalem nela, caso haja ambiente propicio para isso.

Uma casa bem conservada, com boa ventilação, e tratamento anual de prevenção é o que impede esses pequenos destruidores de se instalar.

O tratamento de prevenção pode ser feito por empresas do ramo, que são especializadas e podem fazer a inspeção e prevenção, bem como a exterminação dos mesmos. É importante também que essa prevenção seja feita ao menos uma vez por ano.

imagem Controle de pragas rs

Solicite orçamento para dedetização (desinsetização)

A Construsul Dedetizadora convida você a solicitar um orçamento totalmente grátis, temos uma equipe perto de você. Oferecemos serviços de controle de pragas e vetores com excelência.

Fazemos parte da rede CONSTRUSUL ENGENHARIA E MANUTENÇÃO PREDIAL, um grupo empenhado em trazer soluções inteligentes e sustentáveis para o controle de animais e inseto, desentupimentos, caça vazamentos e reforma predial.

Cofira nossos serviços de dedetização

O controle de pragas segue uma metodologia que exclui totalmente a possibilidade de contaminação do meio ambiente, produtos e/ou serviços, mas que é extremamente eficaz contra a praga. Nossa empresa é referência no controle de pragas urbanas, incluindo roedores.

Há mais de 40 anos trabalhando no extermínio de pragas urbanas, a Construsul dedetizadora oferece o serviço de desinsetização de pragas com melhores técnicas dedetização.

CONSTUSUL DEDETIZADORA - Serviços Profissionais em dedetização na sua cidade.

A Mais de 40 anos a Construsul dedetizadora vem atuando no mercado de controle de pragas urbanas, sempre preocupada em trazer ao cliente a satisfação de um trabalho bem feito com seriedade e profissionalismo.

Sua sede está localizada em Porto Alegre, com filiais na Grande Porto Alegre (RS) e Santa Catariana (SC) A empresa realiza os serviços de Higienização e Desinfecção Bacteriológica de Reservatórios de Água e Controle de Pragas como: Desinsetização (dedetização), Descupinização, Desratização, Controle de Pragas em Grãos Armazenados, Tratamento Fitossanitário Quarentenário, Controle Integrado de Pragas (CIP) entre outros.

Também trabalhamos com o Sistema Sentricon de Eliminação de Colônia de Cupins, um sistema criado para monitorar e eliminar colônias de cupins subterrâneos.

 

Confira mais conteúdos da Construsul sobre controle de pragas